Buscando a notícia para você desde 2007 - Ano 10 -

Dia 11 de Junho - Dia da Marinha do Brasil



O Almirante Joaquim Marques Lisboa e Marques de Tamandaré – O Nelson Brasileiro, é por tradição cultuado patrono da Marinha do Brasil, em razão, segundo o espírito do Aviso 3322 de 4 dez 1925 que instituiu o seu aniversário como o Dia do Marinheiro e Dia de Tamandaré, "representar na História Naval Brasileira a figura de maior destaque dentre os ilustres oficiais de Marinha que honraram e elevaram a sua classe". E mais que, "neste dia deveria a Marinha render-lhe as homenagens reclamadas por seus inomináveis serviços à liberdade e união dos brasileiros, demonstrando que o seu nome e exemplos, continuam bem vivos no coração de quantos sabem honrar a impoluta e gloriosa farda da Marinha Brasileira".

Por seus quase 67 anos de heróicos, legendários e excepcionais serviços prestados à Marinha, é por ela hoje considerado o seu marinheiro símbolo e padrão.

O futuro Almirante Tamandaré ingressou na Marinha do Brasil em 4 mar 1823, aos 16 anos, tendo sido designado para servir a bordo da fragata "Niterói", como praticamente de piloto, ao comando de Taylor que, integrando esquadra brasileira de Lord Cockrane, combateu os portugueses na guerra da Independência, na Bahia, em 1823.

Terminada esta guerra, na qual se destacou, freqüentou por quase um ano a Academia Imperial dos Guardas - Marinha, até ser requisitado pelo Almirante Cockrane para embarcar na nau "D. Pedro I" destinada a combater a Confederação do Equador, no Nordeste. Nestas ações se impôs a admiração e estima dos seus chefes que atestaram que ao tempo de sua participação na guerra da Independência "já possuía condições de conduzir uma embarcação a qualquer parte do mundo". Com isto conseguiu sua promoção a 2º Tenente em 2 ago 1825, marco de sua brilhante carreira que o conduziria a condição de marinheiro de guerra símbolo e padrão do Brasil. Conforme escreveu Gustavo Barroso: "foi Tamandaré marinheiro do primeiro e segundo Império, que vira o Brasil Reino, guerreara na Independência, no Prata, tomara parte ao lado da lei em quase todas as convulsões da Regência, criara e legara a vitória no Uruguai e no Paraguai à Marinha, do segundo Império, assistira a Proclamação da República, a Revolta da Esquadra, pisara o convés de tábuas dos veleiros e na coberta chapeada de ferro dos encouraçados, vira a nau e o brigue, o vapor de rodas e o monitor e a couraça e o torpedeiro destinada a vencê-la".

Tamandaré é grande parte da História do Brasil e de sua Marinha



MARINHA DO BRASIL

A extensão da costa - mais de sete mil quilômetros - e os 55.000km2 de águas internas do Brasil caracterizam uma realidade geográfica que impõe a necessidade de uma poderosa força naval.

Marinha do Brasil é a instituição e força armada naval composta pelos oficiais e praças, estabelecimentos, embarcações e correspondente material bélico destinados à defesa do estado brasileiro.

O que é ser um militar da Marinha?

O militar é o profissional que serve à alguma das três forças armadas (Exército, Marinha ou Aeronáutica) ou que serve as Forças de Segurança dos Estados da Federação (bombeiros e policiais militares). Na estrutura do governo brasileiro, as Forças Armadas estão integradas ao Ministério da Defesa.
A Marinha é a componente naval das Forças Armadas de um país, responsável, principalmente, no contexto externo, pela defesa das áreas litorâneas e das plataformas continentais brasileiras, e no contexto interno pela orientação dos navegantes, pelo policiamento das costas brasileiras e pela fiscalização do tráfego marinho e dos portos.

Quais as características necessárias para ser um militar da Marinha?

Para ser um militar da marinha é necessário que o profissional seja corajoso e tenha interesse em servir seu país. Outras características interessantes são:

Responsabilidade

Seriedade

Força de vontade

Coragem

Raciocínio rápido

Força física

Resistência

Instinto de sobrevivência

Capacidade de receber ordens

Capacidade de respeitar hierarquias

No Brasil, ao completar 18 anos, o cidadão do sexo masculino deve se alistar em alguma das três Forças Armadas, e, se convocado, pode cumprir o serviço obrigatório e continuar seguindo carreira. Também é possível ingressar na Marinha através de concurso público, com o objetivo de preencher vagas abertas. No caso do concurso para graduados em ensino superior é necessário que o candidato seja aprovado na seleção, no Curso de Formação e no Estágio de aplicação de Oficiais. No caso de concurso para níveis fundamental ou médio, o candidato aprovado em concurso público tem a oportunidade de cursar a Escola Naval. O curso de ensino médio (para quem tem fundamental completo) oferece três anos do currículo escolar intenso, em regime de internato e treinamento físico. O curso de ensino superior (para quem tem ensino médio completo) forma Corpos da Armada, Fuzileiros Navais e Intendentes.

Hierarquia da Marinha Brasileira
Oficiais Generais

Almirante

Almirante-de-Esquadra

Vice-Almirante

Contra-Almirante
Oficiais Superiores

Capitão de Mar e Guerra

Capitão-de-Fragata

Capitão-de-Corveta
Oficiais Intermediários

Capitão-Tenente
Oficiais Subalternos

1° Tenente

2° Tenente

Guarda-Marinha
Graduados

Suboficial

1° Sargento

2° Sargento

3° Sargento

Cabo

Marinheiro



Principais funções da Marinha Brasileira

Orientar e controlar a Marinha Mercante (conjunto de navios que transportam mercadorias e realizam comércio) e suas atividades correlatas, na defesa dos interesses nacionais

Prover a segurança da navegação aquaviária

Contribuir para a formulação e condução de políticas nacionais que digam respeito ao mar

Implementar e fiscalizar o cumprimento de leis e regulamentos, no mar e nas águas interiores, em coordenação com outros órgãos do poder executivo, Federal ou Estadual

História da Marinha Brasileira

A Marinha, no Brasil, tem sua história iniciada em 1736, com a criação da Secretaria de Estado de Negócios da Marinha, por D. João V de Portugal. Na época da Independência do Brasil, em 1822, o governo da nação recém-emancipada viu a necessidade da existência de uma força bélica naval, capaz de defender a vasta extensão da costa e riqueza da rede hidrográfica do território, assegurando o comércio e as comunicações entre as suas diversas regiões.

Desse modo, em 10 de novembro de 1822, foi solenemente içado, no penol da carangueja da nau "Martim de Freitas" - rebatizada como "Pedro I" e alçada a capitânea da Esquadra brasileira em formação -, pela primeira vez, a bandeira do Brasil, sob salva de 101 tiros.

A Esquadra teria, doravante, papel decisivo na Guerra de Independência do Brasil. Para guarnecê-la, o governo recorreu aos serviços de estrangeiros, como o Almirante Thomas Cochrane, um oficial da Marinha Real Britânica. Até ao Período Regencial Brasileiro, estima-se que metade dos praças e dois terços dos oficiais da Marinha eram estrangeiros.

Garantida a Independência e a unidade nacional, assim como a sua integração, a Marinha teve papel de destaque ainda em acontecimentos tão diversos como a Guerra da Cisplatina, os diversos movimentos separatistas que se iniciaram no Período Regencial, a Guerra contra Oribe e Rosas, a Guerra da Tríplice Aliança e outros.

Fonte: Marinha do Brasil