Buscando a notícia para você desde 2007 - Ano 10 -

Todas as pessoas de olhos azuis são descendentes de um único ser humano - Coluna Você Sabia?

Um estudo feito por cientistas da Universidade de Copenhague, da Dinamarca, afirma que cada pessoa de olhos azuis no planeta é descendente de um único europeu que viveu por volta de 6 a 10 mil anos atrás, e que foi o primeiro ser humano a desenvolver uma mutação específica que é responsável pela coloração da íris.

Originalmente, todos os seres humanos tinham olhos castanhos, por conta de uma variação genética no gene chamado OCA2 poderia se ver varias tonalidades de castanho. A própria cor verde é resultado de uma grande variação na quantidade de melanina produzida. A partir desta informação, os cientistas procuraram por muitos anos a fonte da tonalidade azul no gene OCA2, mas sem sucesso.

Recentemente, uma mutação de um gene separado chamado HERC2 tem sido identificado como a causa dos olhos azuis. Esta alteração desliga o gene OCA2, que determina a quantidade do pigmento de melanina marrom que produzimos. Para os Cientistas da Universidade de Copenhague, as pessoas com olhos azuis herdaram esse gene interruptor de uma única composição genética, ou seja, são todas descendentes do primeiro ser humano com olhos azuis.

Acredita-se que esta mutação ocorreu quando os humanos começaram a migrar da África para a Europa. O fato de que cada pessoa de olhos azuis atualmente possua essa mesma mutação é uma evidência muito convincente para essa teoria, embora a identidade do mutante inicial ainda permanecer um mistério.

O mais antigo conjunto de olhos azuis já encontrados pertencem a um esqueleto de 7 mil anos de idade que foi descoberto no norte da Espanha. Naturalmente, os olhos já haviam deteriorado há muito tempo, no entanto, com uma análise genética pode-se identificar que os olhos teriam aparecido na cor azul.

Fonte: Minilua
Foto  : Hypsience

Curiosidades do Verão - Coluna Você Sabia?

O verão do hemisfério norte é chamado de “verão boreal”, e o do hemisfério sul é chamado de “verão austral”.

Alguns povos antigos dividiam o ano em cinco estações: outono, inverno, primavera, o verão propriamente dito, de tempo quente e chuvoso e o estio, de tempo quente e seco – palavra que originou o termo “estiagem”.

O solstício ocorre duas vezes ao ano. No de inverno, a noite é mais longa que o dia. No de verão, o dia é mais longo que a noite.

Na Linha do Equador, a duração dos dias é fixa ao longo das estações do ano, com 12 horas de luz e 12 horas de noite. Quer dizer, os solstícios são inexistentes no Equador.

O grau Celsius (símbolo: ºC) foi designado em homenagem ao astrônomo sueco Anders Celsius, que foi o primeiro a propô-lo. As temperaturas no Brasil são medidas em graus Celsius.

A temperatura mais alta registrada no Brasil durante o verão foi 43º Celsius na cidade do Rio de Janeiro, em 1 984. A maior temperatura ambiente, no entanto, foi registrada na localidade de Azízia, na Líbia: 58º Celsius.

A incidência de raios ultravioletas (UV) é maior no verão. A exposição excessiva aos raios UV podem causar manchas e até câncer de pele. Quanto mais clara a pele, maior a probabilidade de contraír o câncer. Por isso, não esqueça do protetor solar.

Horário de verão é a alteração do horário de uma região, adiantando-se em geral uma hora no fuso horário oficial local. Como o próprio nome indica, o horário de verão é implantado sempre na estação mais quente do ano, quando os dias são mais longos.

Dizem que quem teve a ideia do horário de verão foi o inventor e político norte-americano Benjamin Franklin, em 1 784. Na época, o horário de verão visava economizar certa de vela (!!).

O primeiro país a adotar o horário de verão foi a Alemanha, na segunda década do século XX.

No Brasil, o horário de verão foi implantado pela primeira vez em 1 931. A ideia, porém, não deu muito certo. O horário de verão atual – que vigora nas regiões Sul e Sudeste, além de parte do Centro-Oeste – foi criado em 1 985.

Em inglês, o horário de verão é chamado de “daylight saving time” (horário de economia com luz do dia, em tradução livre) e em italiano de “ora legale” (hora legal).

O Sol da meia-noite só pode ser visto durante o verão nos hemisférios. Nessa época, o Sol brilha 24 horas por dia. Entre outubro e março, o Sol da meia-noite ocorre no Pólo Sul; de abril a setembro, no Pólo Norte.

Só existem duas estações no Ártico e na Antártida: verão com 6 meses de Sol (não existem noites) e inverno com 6 meses de escuridão (não existem dias).

As reações emocionais da pessoa se alteram conforme o clima e a luz do ambiente. Por isso, pode-se afirmar com toda a certeza que você tende a ser mais alegre no verão do que no inverno.

A estação mais violenta do ano no Brasil é o verão. Pesquisas demonstram que agressões, assassinatos e acidentes de trânsito ocorrem com maior frequência durante os meses mais quentes, principalmente dezembro.

Durante os meses mais quentes, as doenças mais comuns no Brasil são a malária e a dengue. Aliás, a malária é uma das pragas que mais mata gente no mundo. Acredita-se que o número de mortos ultrapasse os dois milhões de pessoas por ano.

A época do ano com maior incidência de enchentes no Centro-Sul do Brasil é o verão, principalmente entre os meses de dezembro a abril. O maior desastre natural da história do país ocorreu justamente nessa estação, com enchentes e deslizamentos de terra. Ocorrido na Serra Fluminense – diga-se Petrópolis, Teresópolis, Nova Friburgo, São José do Vale do Rio Preto e Bom Jardim -, ele matou em torno de 1 000 pessoas



Fonte  : maiscuriosidade.com.br
Foto    : maiscuriosidade.com.br